Amazonense indígena Nara Baré recebe o Prêmio Franco-Alemão de Diretos Humanos e do Estado de Direto 2020

Desde 2016, o prêmio é atribuído todos os anos a pessoas que contribuíram de modo excepcional para a proteção e promoção dos Direitos Humanos e do Estado de Direito nos seus países e a nível internacional.

Por ocasião do Dia dos Direitos Humanos, comemorado em 10 de dezembro, as Embaixadas da França e da Alemanha concederam à Nara Baré, coordenadora geral da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), o Prêmio Franco-Alemão de Direitos Humanos e do Estado de Direito em reconhecimento ao seu compromisso com a proteção do meio ambiente e a defesa dos direitos indígenas. A cerimônia de premiação aconteceu na embaixada da Alemanha, em Brasília. 

Francinara Soares Baré, a Nara Baré, de 39 anos, foi a primeira mulher a assumir a liderança da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), a maior organização indígena do Brasil, criada há 28 anos.

Nascida em São Gabriel da Cachoeira, município localizado a 835 quilômetros de Manaus com acesso somente por vias fluvial e aérea, Nara é filha de mãe indígena da etnia Baré. O pai é paraibano. O município, que fica na região do Alto Rio Negro, na fronteira com a Colômbia e a Venezuela, possui 23 etnias diferentes, sendo que 90% da população é indígena.

Desde 2016, o prêmio é atribuído todos os anos a pessoas que contribuíram de modo excepcional para a proteção e promoção dos Direitos Humanos e do Estado de Direito nos seus países e a nível internacional. O embaixador da Alemanha no Brasil, Heiko Toms, parabenizou Nara Baré pelo prêmio: “Parabéns, Nara Baré! Meu colega e eu entregamos a Nara o Prêmio Alemão-Francês de Direitos Humanos e Estado de Direito por seu grande trabalho nas áreas de direitos indígenas e proteção ambiental.”

“Dedico a premiação ao meus pais Linhares e Clara, responsáveis por minha existência e ensinamentos que me tornaram a mulher que sou. Esse prêmio reconhece toda a luta e resistência dos povos indígenas do Brasil pela garantia ao direito fundamental: de viver! Viver como somos, respeitando nossa diversidade, nossa especificidade enquanto povos indígenas, e onde sempre estivemos: nossos territórios! A premiação não é para mim, Nara Baré, mas sim a todos nós povos indígenas que resistimos, lutamos e defendemos nossos direitos, nossos territórios e muitas vezes com nossas próprias vidas”, declarou a coordenadora geral da COIAB após a entrega do prêmio.

Nara Baré. (Foto:Divulgação/Coiab

Sobre a COIAB

A COIAB, fundada no dia 19 de abril de 1989, é a maior organização indígena regional do Brasil, que surgiu por iniciativa de lideranças de organizações indígenas existentes na época, e como resultado do processo de luta política dos povos indígenas pelo reconhecimento e exercício de seus direitos, em um cenário de transformações sociais e políticas ocorridas no Brasil após a Constituição Federal de 1988.

A organização representa 160 povos de nove estados amazônicos. São eles: Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Juntos, abrangem cerca de 60% do total da população indígena do país, cerca de 440 mil pessoas. Somado a isso, reúnem 403 terras indígenas demarcadas e muitos outros territórios que ainda não foram regularizados.

*Com informações da Coiab

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *